para empresasjunho 26, 2017

Olá WordPress, tudo bem?

Se você me segue por mais de um ano, você provavelmente sabe que eu sou desenvolvedor Windows e também, aspnet. Eu comecei nesse negócio da web com aspnet, logo depois de usar o Blogger. Então foi natural pra mim querer escrever meu próprio CMS (como o WordPress) em aspnet. E foi isso o que eu fiz. E claro é incrivelmente difícil fazer isso quando você está sozinho e não tem satisfação nenhuma com o seu trabalho. E claro, estou falando de Web Forms.

Esta não era a única coisa que eu estava fazendo de errado, e por fazendo de errado eu quero dizer: não estava fazendo da forma como eu deveria. Tipo, todo o mundo estava utilizando o GitHub ou o Visual Studio Online como repositórios, e eu estava usando o TortoiseSVN. Todos estavam fazendo projetos opensource, enquanto eu… bom, nenhum projeto novo. Isso porque eu estava focado em tentar criar o meu próprio gerenciador de conteúdo e meu próprio site em AspNet. Um site que eu estivesse orgulhoso. Isso nunca aconteceu. Perdi as contas de quantos posts eu deixei de fazer porque o site simplesmente não era ideal. Quero dizer, eles sempre aparentaram incríveis mas estava faltando algo, do backend até o frontend.

Eu não estava feliz. E com isso quero dizer, não havia novos projetos, novos posts. Se eu vou mudar o meu site depois eu não poderia compartilhar um link porque ele ficará quebrado em pouco tempo. É insano pensar que eu tenho feito isso por 7 anos! 7 anos que eu tenho tentando encontrar o site perfeito (mesmo com os meus amigos me dizendo para visitar o WordPress). Não escutei eles, perdi a oportunidade.

Então, em Janeiro de 2016, eu decidi mudar, não só meu site para o WordPress mas todos os meus projetos para a forma certa de fazer. Agora eu sou WordPress. Duas perguntas vem a partir disso: você está abandonando a Microsoft? e porque demorou um ano e cinco meses para mudar isso?

Não, eu não estou abandonando a Microsoft. Eu amo aspnet e amo criar com essa tecnologia, e é por isso que eu continuo usando para gerenciar meus webservices e todos os meus projetos web. Só não é a melhor coisa para gerenciar blogs, como este. Eu consigo listar toneladas de exemplo de porque o WordPress é melhor para gerenciar um site do que aspent. Na verdade, eu já falei um exemplo sobre – traduzindo sites, WP faz isso melhor.

Eu levei muito, muito, tempo para mudar o meu site para WordPress, e aqui estão os motivos:

1) Eu estava perdido. Eu estava tentando fazer algo que não era o meu chamado. Eu encontrei um trabalho. Sai do trabalho. Entrei em outro trabalho, e também saí dele. Estou estudando. Eu tenho uma semana com mais de 7 provas vindo aí, eu tenho que estudar! Como eu vou arranjar tempo para isso? Não arranjei. De novo, se você me segue, você sabe que eu tentei varias coisas no início deste ano e final do ano passado. Agora estou focado. Eu estou exatamente aonde deveria estar, fazendo exatamente o que deveria estar. Sou oficialmente engenheiro de software na Vítor Norton – sim, uma empresa com o meu nome – e estou prestes a finalizar meus estudos. Então você sabe, tenho mais tempo livre.

2) Foi complicado. Eu tinha esse site: um site bem bacana. Com todas as funções que eu queria, e este blog. Este blog não tinha as funções que eu queria. Eu não sabia como criar com PHP. Tinha que aprender primeiro. Então, movendo passo a passo para o WordPress foi difícil. Foi difícil pois eu colecionei mais de 5 sites que eu não estava só movendo para o WordPress como estava fundindo eles em um só. Ainda há muitas coisas que eu não tenho do aspnet, como o submenu mudando de página pra página. Ainda estou descobrindo como fazer isso. E para me ajudar nessa mistura toda, eu tinha o Formula, Conjugar, Random 42 and True Dark Mode. 4 Apps! 4 APPS, sem contar os que já não são mais suportados como o Tocha Olimpica e o Time Calculator e outros 3. E se você se lembra bem, eu comecei uma empresa (B-WEB) e fiquei como editor chefe do vnext por 6 meses. É muito trabalho. Foi complicado. Queria que tivesse sido mais fácil, mas não foi.

Claro que eu aproveitei essa oportunidade para dar uma boa atualizada no site, incluindo algumas coisas que lembram o Fluent Design.

Este lugar em que eu estou: esse site que eu estou. Este é o site que eu queria a 2 anos atrás, e estou sendo bonzinho comigo por não dizer 7 anos atrás. Então, o que eu teria realizado se eu tivesse esse site a dois anos atrás? Stay tuned!

para empresasjunho 07, 2017

Indo além de melhorar a tradução dos sites

Então um cliente me deu um novo desafio, de colocar o site dele em inglês, português e espanhol. É bem tranquilo, com certeza é fácil, eu tenho feito isso por alguns anos já, sites com mais de uma linguagem. Eu tenho uma certa experiência, então porque eu excitei em fazer tal proeza? Eu sabia exatamente como fazer, e no WordPress seria ainda mais tranquilo – vide a comunidade do WordPress. Tá, vou te dar um pouco de contexto sobre como eu trabalhei com isso durante a minha vida.

No início de 2015 eu vi que o meu público não era somente brasileiro, como varias pessoas ao redor de todo o mundo, o que o idioma seria uma grande barreira. Não para mim, e sim para os meus sistemas. Eu resolvi isso, até então, em três etapas, que são:

Etapa um, o aprendiz de burrice

Claro, que quando você está fazendo o seu próprio CMS e está tentando reinventar a roda, você é um tipo de pessoa mesquinha e não quer muito ver como os outros fizeram antes de você. Eu era esse tipo de pessoa. Lá, da metade de 2015 pro fim de 2016 eu coloquei um sistema de Multi-linguagens no meu site, o que ficou incrivelmente ruim por dois motivos:

  1. O código era mal escrito. Do tipo, pessimamente escrito. Eu não havia criado arquivos Resources e dicionários para colocar as strings do meu site lá, eu fiz dentro do código mesmo. Não tenho orgulho disso. O meu desprezo com esse código é tamanho que existe um vácuo entre 2015 e 2016 no meu repositório. Pra você ter uma ideia, o site era em Asp Net Web Forms, em pleno 2015! Sério, eu tinha problemas, problemas sérios.
  2. Eu so estava traduzindo alguns conteúdos. A postagem do blog ainda era em português, e definitivamente aquilo estava me atentando.

Etapa dois, vamos fazer a coisa certa

Dessa vez resolvi tomar as devidas providências, logo no início de 2016, e refiz o meu site em Asp Net MVC – mais tarde, no fim de 2016 migrei para aspnet core -, e coloquei os devidos arquivos Resources no seu lugar, o trabalho estava bonito. Então o meu site principal ficou dividido em três partes:

  1. vtnorton.com – site em aspnet core que tem traduções para inglês e para português.
  2. dev.vtnorton.com – site em inglês para as postagens internacionais.
  3. blog.vtnorton.com – site em português para as postagens nacionais.

Essas três partes estavam misturadas, compartilhando os mesmos arquivos para o tema (o framework Heartthrob, CSS e JavaScript), até mesmo alguns webservices. Conseguiu me atender durante um tempo, mas ainda sim não era o que eu queria. Pelo menos eu posso dizer que o código está muito mais formatado. E claro, um tradutor automático do Bing para os demais idiomas. O mundo poderia ser meu cliente agora!

Ainda nessa etapa, eu coloquei os meus aplicativos (todos com exceção do Formula – Universal Code Editor), com suporte a: Inglês, Português, Espanhol, Italiano e Francês. Foi uma experiência diferente, ainda que usando a mesma linguagem e o mesmo framework (C# – .Net)

Etapa três, agora sim!

Nas ultimas semanas recebi uma proposta de um cliente que queria o site dele em vários idiomas. O que o cliente quer é bem simples, óbvio que eu sei fazer. Ele que um blog WordPress que possa ser em inglês, português e espanhol. Um blog com as três línguas, não três blogs, um para cada idioma. É até mais simples dessa forma do que da forma que eu tenho feito a anos. Só que eu não havia feito isso antes.

Ele havia me pedido, e claro, eu disse que tinha como fazer, porém eu iria analisar a melhor forma antes de confirmar. Corri para o escritório, e em algumas horas consegui rodar testes suficientes para saber exatamente como fazer. Alguns plugins do WordPress, algumas adaptações no tema e prontinho. Mas claro, para garantir o sucesso do seu cliente você precisa primeiro usar o produto que você vende. Você já foi em uma loja da Apple e viu os funcionários usando Samsung? Não faz sentido. Se você está vendendo, você precisa usar o seu produto.

Durante a última semana eu refiz algumas coisas no meu site, entre elas removi o tradutor do Bing. O mundo poderia ser meu cliente, mas ninguém estava usando, e estava me dando mais trabalho manter do que remover. Também fui linha a linha do meu código e descobri mais de 50 textos no site principal que não estavam sendo traduzidos (e aproveitei o embalo para criar a tradução da política de privacidade do Formula).

E resolvi ir além, dei um merge nos meus dois WordPress. Agora eu só tenho um blog.vtnorton.com, e este precisou de algumas alterações a nível estrutural, e até mesmo uma boa repaginada para poder receber o conteúdo do dev.vtnorton.com. Utilizei o Loco e o Polylang para me ajudar a traduzir o site para inglês e português. Também mudei a hospedagem do site, e durante isso mais de 20 problemas foram resolvidos.

Claro que aproveitei essa oportunidade para dar uma boa refatorada no site, removi categorias antigas, postagens que já não fazem mais sentido estar neste blog e enfim… dar uma atualizada em tudo – além de estar em uma nova hospedagem.

Conclusão

Eu havia excitado na ideia de colocar um site em inglês, português e espanhol, pois eu não havia feito isso antes, mesmo tendo feito. É complicado, mas se você leu esse texto certeza que você me entende. Eu simplesmente não havia feito da forma que deveria ter sido feita. Então antes de chegar para um cliente eu precisei utilizar do problema dele, resolver o problema dele, ficar experiente no problema dele, e então, só então, poder implementar no sistema dele.

Será que a gente pode começar a usar os nossos produtos antes de vender? Seria pedir muito? Agora eu tenho a tranquilidade de saber que o meu produto irá atender, e muito bem.